Fonoaudiologia

Hábitos orais – Algumas dicas para eliminá-los.

Hábitos de sucção prolongados tem alta incidência na população infantil, podendo desencadear más oclusões, além de distúrbios miofuncionais orofaciais. O grau das alterações depende da frequência, intensidade e duração dos hábitos.

As más formações mais comuns são: mordida aberta, inadequações musculares, funcionais e oclusais, alterações de fala, além de alterações nas funções de todo sistema estomatognático (mastigação, sucção, respiração, deglutição e fonoarticulação)

Para a remoção de hábitos, devem ser escolhidos métodos que motivem a criança a abandoná-los e que esclareçam as dúvidas dos pais, pois estes procedimentos são fundamentais no processo de remoção dos hábitos de sucção. É importante que os responsáveis tenham ciência dos malefícios e das sequelas que os hábitos orais podem trazer, durante o uso por tempo prolongado, assim como o beneficio que a remoção trará para a criança.

Porém por se tratar de um hábito, não se deve retirar de forma abrupta e nem invasiva, os pais devem auxiliar a criança, reforçando positivamente quando esta apresenta o comportamento desejado, ou seja, a diminuição da frequência dos hábitos, até conseguir o seu abandono total. Para isso, quando a criança não realiza o hábito de sucção digital, por exemplo, em um horário em que frequentemente era utilizado, ele recebe um reforço social positivo, que vai depender da motivação de cada um, podendo ser algum tipo de elogio, sorrisos ou abraços, dependendo do que for mais reforçador para ele. Os pais também podem alterar a rotina da criança nos horários em que os hábitos apareçam com maior frequência.

Também podemos utilizar formas lúdicas com a criança, o uso de espelho, fotografias, gravuras de livros que mostrem as alterações clínicas decorrentes dos hábitos. Mostrar a criança de maneira visual e solicitar que ela escolha o mais “bonito”.

Outra estratégia que também pode ser abordada é o uso de calendários com ilustrações que indicam dia e noite. A criança pode ser orientada a fazer desenhos, marcações ou colar adesivos quando sentir vontade de fazer uso dos hábitos de sucção nutritivo (mamadeira) e/ou não nutritivo (chupeta) naquele momento, mas não o faça. O aumento da quantidade de marcações poderia indicar a diminuição da frequência dos hábitos até a sua total remoção.

Uma opção em relação ao hábito nutritivo é solicitar que a criança escolha um copo específico (com o personagem preferido, por exemplo) que sirva de substituto a mamadeira.

É importante ressaltar que a criança deve estar motivada para o abandono dos hábitos apresentados. Quando questionado sobre a disponibilidade em abandoná-los houver recusa por parte da criança, outros procedimentos devem ser adotados, como a investigação das causas que estão promovendo a perpetuação dos hábitos, é importante ter paciência e motivar a criança de forma amorosa e acolhedora, pois isso irá fortalecer e contribuir com o seu sucesso.

Fga Débora Schunk CRFa 4 10270-2

Pós graduada em motricidade orofacial


23/12/2019