Psicopedagogia

Dislexia esclarecendo alguns mitos

A dislexia tem por definição em um transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldade no reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e em soletração. Mas hoje sabemos que ela vai muito além de apenas uma dificuldade na leitura e escrita: crianças disléxicas apresentam dificuldade na fala, na leitura, na escrita, na consciência fonológica, na memória, na orientação espacial e temporal. É claro que cada ser humano apresenta uma especificidade e nem todos irão apresentar dificuldades em todas essas áreas. Mas o fato da pessoa ter diagnóstico de dislexia não significa que ela tem pouca inteligência, muito pelo contrário! São vários os estudos que demonstram que pessoas com Dislexia têm uma inteligência dentro da média ou mesmo acima dela. Ao nível dos critérios de diagnóstico, a Dislexia não é melhor explicada por uma incapacidade intelectual. Esse é um grande mito associado a essa patologia, os disléxicos tem o cognitivo perfeitamente preservado. Outro mito diretamente relacionado a dislexia são que as pessoas não são capazes de ler, também equivocada essa informação! As pessoas com dislexia conseguem ler, pelo menos até a um determinado ponto.  Ao lerem têm dificuldade com palavras desconhecidas, mesmo quando foram ensinados foneticamente. Frequentemente poderão ler uma palavra numa página e não reconhecerem a mesma palavra na página seguinte. Também não é verdade que essa patologia afeta mais meninos do que meninas, a verdade é que meninos portadores são identificados com mais frequência, mas a dislexia afeta ambos os sexos de forma igualitária. Algumas pessoas acreditam que a dislexia afeta apenas crianças, isso não é verdade! Ela é uma das características de determinada pessoa, é constitucional o que significa que acompanhará em toda a sua vida. É necessário encontrar mecanismos e estratégias para lidar com a dislexia ao longo da vida. Antes de acreditar em informações equivocadas, investigue, leia e procure um profissional.

07/02/2019